Connect
To Top

Economias emergentes ameaçam o sistema financeiro global

 

A maior ameaça ao crescimento mundial e ao sistema financeiro vem agora dos mercados emergentes, pressionados pela desvalorização das matérias-primas, num cenário dominado pela desaceleração do crescimento na China e o elevado volume de crédito malparado, declarou o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Relatório de Estabilidade Financeira Global, apresentado na assembleia de Outono em Lima, Peru, considera que a estabilidade financeira melhorou nas economias desenvolvidas, uma vez ultrapassada a crise da Grécia na Zona Euro, mas aumentaram os riscos de liquidez, que resultam do menor “apetite” dos investidores por activos de maior risco, ou seja, pelas economias em desenvolvimento.

O documento refere que o sistema financeiro está vulnerável a “choques” que tanto podem vir dos países ricos, como dos emergentes, mas que é nestes que se centram as maiores preocupações.

Muitas economias emergentes apostaram no acesso rápido ao crédito para gerir os piores impactos da crise global e esta escalada de endividamento resultou num sector privado demasiado alavancado. Com a exposição ao risco cambial, muita da dívida foi contraída em moedas que estão a valorizar e aumentou a vulnerabilidade destas economias. Os bancos perderam barreiras contra os choques e os balanços das empresas estão mais frágeis.

A queda do preço das matérias-primas, sendo o petróleo o mais relevante, pressiona ainda mais estas economias que em muitos casos estão demasiado dependentes de um sector e de algumas grandes empresas. O cenário esboçado pelo Fundo Monetário Internacional continua a apontar para a recuperação do ciclo, mas com perspectivas mais fracas para o crescimento de médio e longo prazo, um diagnóstico que serve para as economias desenvolvidas e emergentes.

You must be logged in to post a comment Login