Connect
To Top

Carteira de investimentos públicos recupera projectos adiados

Dossier OGE 2016

Em 2015 ficaram adiados projectos estruturantes com a revisão do Orçamento Geral do Estado (OGE), que, de acordo com cálculos da revista Rumo, apontam para 145,9 mil milhões de kwanzas na construção, 70,3 mil milhões nos transportes, 69,3 mil milhões na energia, 6,1 mil milhões na geologia e minas, enquanto a indústria e a agricultura registaram 2,6 mil milhões e 701,1 milhões de kwanzas.
A Rumo traz nesta edição projectos adiados mas agora inseridos na carteira de investimentos públicos na proposta do OGE 2016. Os deputados à Assembleia Nacional discutiram e aprovaram, na generalidade, a proposta do Orçamento na penúltima semana de Novembro, após ter sido aprovado em Outubro pelo Conselho de Ministros.
Quais são os sectores estruturantes com investimentos públicos capazes de elevar o crescimento económico? Onde é que as empresas serão capazes de realizar negócios por via da contratação pública? E quais os projectos aprovados no primeiro Orçamento público de 2015, adiados no Orçamento revisto e agora incluídos na proposta de Orçamento do próximo ano?
A Rumo tem as respostas e detalhes da variação dos Orçamentos aprovados para investimentos públicos, por forma a auxiliar consultoras, investidores ávidos de risco, face à conjuntura macroeconómica global com repercussão para o País, mas confiantes em resultados positivos a médio prazo.
Aliás, na síntese do desempenho fiscal e perspectivas até 2017, as projecções de médio prazo no Orçamento indicam uma recuperação lenta do preço no horizonte da projecção até 2022 e o quadro fiscal estrutural contempla novos desafios, desde preços mais baixos para as commodities ao reforço do quadro de gestão de activos e da solidez das finanças públicas.

Leia mais na edição n.º 20 da Revista Rumo

You must be logged in to post a comment Login