Connect
To Top

Os desafios económicos do País e os desejos para Angola nos próximos 40 anos

Angola tem ganho maturidade económica, política e social

São enormes os desafios económicos para os próximos 40 anos. O País que assinala este ano mais um aniversário da sua independência, apesar de todos os constrangimentos, deverá continuar a proporcionar aos angolanos e ao seu governo uma dinâmica de governação para permitir um maior crescimento.
Não fosse a guerra civil que vivemos após a independência, provavelmente estaríamos mais desenvolvidos, sobretudo na agricultura, indústria e infraestruturas sociais. Ainda assim, obtivemos ganhos que orgulham o povo angolano – hoje fazemos parte do grupo de países que servem de modelo, sobretudo no sector habitacional, e Angola tem ganhado maturidade económica, política e social.
Os próximos 40 anos deverão continuar a marcar os angolanos, particularmente as acções que venham para solidificar a independência, a participação da população na reconstrução nacional, a formação e o contributo ao governo com acções de empreendedorismo, criando empregos directos e indirectos.
Os angolanos vivem em liberdade – valeu a pena a luta para a autodeterminação e independência. Hoje temos orgulho de ser angolanos em qualquer parte do mundo e seremos angolanos cada vez mais.
Os 40 anos que comemoramos deverão servir de reflexão para que possamos perspectivar um futuro melhor, capaz de dimensionar os sentimentos de patriotismo, e que os recursos com os quais o País foi abençoado pela Natureza possam transformar-se em riqueza real, da qual toda a população possa ser beneficiária através de acções governativas que permitam uma melhor distribuição da renda.
Precisamos de manter o povo unido, defender a Unidade Nacional de Cabinda ao Cunene. É preciso consolidar o Estado/Nação e para isso será necessário um maior esforço de todas as forças políticas.
Aconselho a juventude angolana a uma séria reflexão em relação aos passos que o País ainda tem de dar, para que se empenhem na sua educação e que cada vez mais pensem na criação do próprio emprego: esta é a melhor saída para alavancar a economia angolana, temos de estar preparados para os desafios do futuro. Aos jovens que hoje assumem cargos na direcção do País apelo para que tenham sentido de responsabilidade e nacionalismo, que tenham a Pátria em primeiro plano e que pensem Angola. O País precisa.
O meu desejo é de um melhor desempenho e investimento do governo na formação do homem novo, capaz de apoiar as acções do próprio governo. É factor fundamental para a manutenção da paz em Angola, por isso convido a juventude a organizar-se de forma ordeira e democrática.

Hirondino Silva
Presidente da Liga dos Jovens Empresários

You must be logged in to post a comment Login

  • Descomplicar a tributação

    Os números da tributação no País revelam que 64% num universo de três mil empresas são incumpridoras fiscais, ou seja, 1918...

    apedroJuly 24, 2017
  • Oprah, Musk e Bill Gates did it

    Não há segredos. Não há cartas debaixo da manga. Não há truques. Não há bolas de cristal. Há tão-somente uma coisa...

    apedroJuly 21, 2017
  • Um dia sueco em Luanda

    No dia 6 de Junho foi o Dia Nacional da Suécia, e pela primeira vez comemorei em Luanda este dia tão...

    apedroJuly 6, 2017
  • Era uma vez…

    Os negócios têm que ser sustentáveis, produtivos e as regras de confiança robustas.

    apedroJuly 3, 2017