Connect
To Top

Estes serão os empregos com maior procura em 2025

O Fórum Económico Mundial estima que cinco milhões de empregos serão erradicados até 2020 e lista as profissões que terão maior procura em 2025.

A próxima década trará mudanças globais que vão alterar a própria natureza do trabalho, exigindo aos trabalhadores novas capacidades e estratégias para serem bem-sucedidos em novos locais de trabalho mais globais, internacionais, multifacetados e sempre ligados. Alguns dos empregos mais afectados pela quarta revolução foram, até há pouco tempo, consideradas “apostas seguras”, como trabalhadores administrativos, de produção e até de Direito – e serão os mais afectados, aponta o relatório .

Sabe se tem o que é preciso para continuar no mercado de trabalho em 2025? Aqui ficam seis áreas de conhecimento que os especialistas do Fórum Económico Mundial recomendam que tenha, bem como categorias de trabalho mais procuradas, segundo o Bureau of Labor Statistics (BLS), dos EUA.

1)Tecnologia e pensamento computacional – Alguns dos mais importantes serão os que dominam o “pensamento computacional“, capazes de lidar com quantidades impressionantes de informação que processamos individualmente todos os dias, detectar padrões e obter sentido de tudo isso. Os empregos relacionados com desenvolvimento de software vão aumentar 18,8% até 2024 e os analistas de sistemas informáticos irão subir 20,9%. Entretanto, os especialistas em pesquisa de mercado e em marketing vão também ter mais 18,6% de procura.

2)Cuidados a terceiros – A população envelhece e todos os sectores ligados à saúde vão crescer. Telemedicina, equipamento cirúrgico robótico e outras automações irão mudar os cuidados de saúde, mantendo-se a necessidade de cuidadores.
Empregos como técnicos médicos, terapeutas físicos e especialistas em ergonomia do trabalho, bem como veterinários, secretárias clínicas e assistentes médicos estão entre os que irão
crescer. A procura será de 38,1% para cuidadores ao domicílio.

3) Inteligência social e literacia dos novos media– Os robôs vão demorar a dominar soft skills, como a inteligência social e emocional ou a competência intercultural, que será valorizada à medida que os locais de trabalho se tornarem mais internacionais. Também a capacidade de entender as plataformas de media e perceber qual a melhor maneira de comunicar em cada uma delas são capacidades valorizadas e que os robôs não irão conseguir alcançar num futuro próximo. Por isso os empregos em vendas, seja no retalho ou noutras plataformas, os especialistas em marketing e o apoio ao cliente são profissões cuja procura vai crescer entre 6,4% e 18,6% até 2025.

4)Aprendizagem ao longo da vida – À velocidade que o mundo está a mudar, a classe trabalhadora terá de habituar-se a aprender coisas novas constantemente. E terão de alterar a forma como aprendem, e será difícil até para os professores e os formadores manterem-se a par das novidades. Será a tecnologia a fonte dos novos conhecimentos. Antonia Cusumano, líder de pessoas e organização na consultora PwC, diz como será o futuro da formação: “Vai aproveitar os 10 minutos da viagem de autocarro a caminho de casa vindo do trabalho.

Vai descarregar uma app, com mini-vídeos educacionais, para abrir um de 10 minutos, o que precisa para aperfeiçoar os conhecimentos de código. A mudança consistirá nestas mini–informações a consumir rapidamente, quando precisamos e a qualquer momento.” A educação e a formação estão entre os oito sectores mais procurados em 2025 e são o número seis em termos de crescimento no relatório WEF.

5) Adaptabilidade e saber empresarial – A inovação e o empreendedorismo continuarão com oportunidades, a par da economia dos “biscates”, pelo que perceber como é que os negócios funcionam será essencial. Mesmo que por conta de outrem, terá de perceber melhor como funcionam os negócios.

“Foi assim que a geração milénio foi criada; eles estão mais preparados para colaborar. Sabem como trabalhar em função de um projecto e fazê-lo rapidamente, algo que me parece inerente à economia de hoje”, explica Cusumano. Assim, serão os empregos de analista de gestão, contabilidade e auditoria a ter os maiores crescimentos até 2025. No entanto, ao contrário de hoje, de acordo com o relatório norte-americano, mais de 40% dos trabalhadores daquela nacionalidade serão trabalhadores independentes em 2020

Por Erika Nunes | Dinheiro Vivo 

You must be logged in to post a comment Login