Connect
To Top

Gloriosos do Prenda e Jack Nkanga no palco da Trienal

Jack Nkanga, no seu jeito característico, vai apresentar-se pela primeira vez no palco Ngola, onde cantará os temas “Sonhador”, “Eu e a garina” e “Arts & Grafts” que compõem o seu trabalho de estreia.

Os veteranos dos Gloriosos do Prenda e o jovem artista Jack Nkanga actuam Sábado, 19 de Novembro, no Palácio de Ferro, sendo um encontro entre a antiga e a moderna música de Angola. Com entradas livres, o primeiro concerto começa às 20h30, no palco Bengo e, o segundo, às 21h30, no Ngola.

Os Gloriosos do Prenda, constituído por Dom Caetano (voz), Augusto Chacaya (voz), António Paulino (voz), António Imperial “Baião” (viola ritmo), Zé Mwene Puto (viola solo), Carlos Timóteo (viola baixo), Zé Abílio (contra solo), Esteves Bento (tambores), Chico Montenegro (bongos), Josué (teclado), Didi da Mãe Preta (dikanza) e Zé Manico (coro), vai apresentar as canções que marcam o percurso deste emblemático conjunto.

A formação existe desde 2010, altura em que se “despiram” dos “Jovens do Prenda”, que foi formado em 1968, ainda com a designação de “Jovens do Catambor”. Estiveram na base dessa formação os seguintes músicos, Chico Montenegro e Didi da Mãe Preta.

Jack Nkanga, no seu jeito característico, vai apresentar-se pela primeira vez no palco Ngola, onde cantará os temas “Sonhador”, “Eu e a garina” e “Arts & Grafts” que compõem o seu trabalho de estreia, “Oops”, publicado em 2014. Nkanga inspira-se em factos sociais, em questões passionais, a natureza, dentre outros aspectos que marcam a sua vida.    Na sua música, incorpora estilos africanos, como o funck, o soul e o rock. Neste concerto, o musico far-se-á acompanhar pelos seus contemporâneos, nomeadamente José Graciano (teclado), Cloves Esteves (viola solo), Marabu (viola baixo) e Dalú Rogée (percussão). Desde 2006, Jack Nkanga investe na sua carreira como vocalista e compositor.

You must be logged in to post a comment Login