Connect
To Top

ARTEVIDA estreia a obra “Uma M que se chama Arte”

A obra é encenada e dirigida pela professora do ISART de nacionalidade cubana, Marcela Garcia Oliveira, actriz da companhia teatral Hubert do Blanck.

O Elinga Teatro é o espaço escolhido para a estreia da obra “Uma M que se chama arte” nos dias 23, 24 e 25 do corrente mês, às 20 horas, sob a égide do projecto Artevida.

Encabeçada pelos actores Caetano Forriel e Emílio Lukombo, ambos brincam a decompor o que poderia ser um espectáculo teatral, movidos espiritualmente por um poema, expressam-se livremente à margem de uma criação.

Nutridos por um objectivo comum, o enredo conta uma história de casualidade, tendo como missão despertar a consciência do público e dar uma lição de moral, experimentando, reconstruindo ere combinar uma realidade que se suspeita ser injusta para todos.

Escrito por Caetano Forriel, vencedor da temporada de Monólogos organizado pelo Cena Livre em 2016. A obra é encenada e dirigida pela professora do ISART de nacionalidade cubana, Marcela Garcia Oliveira, actriz da companhia teatral Hubert do Blanck e graduada no Instituto Superior de Arte de Cuba, com uma carreira profissional de mais de 13 anos.

You must be logged in to post a comment Login