Connect
To Top

“Quatro Mwangolês Sax ” unidos num sopro

O mesmo nasceu  da  vontade  de  Nanutu propor  a força dos  instrumentos  de  sopro na  música  angolana.  Abraçado pela Fundação Sindika Dokolo, o projecto teve início em Dezembro de 2017, com  a residência  artística, congregando  os  4  artistas  num  dialogo  de sopros  que  culminará  com  o  concerto,  permitindo o  reencontro  de  dois principais  viveiros  da geração  de sopros, a “Casa dos Rapazes”e a “Casa Pia”.

A guitarra  solo  de  Teddy  N´singi  e  baixo  de  Mias  Galheta,  com  a  percussão  de  Dalú  Rogée,  os  “Quatro Mwangolês Sax” executarão músicas como “Django Ué”, “Mutudi Ua Ufolo”, “Merengue 2000”, entre outros temas que consideram representativos do Cancioneiro Angolano. Por sua vez, a estilista Nadir Tatyjuntase ao projecto, disponibilizando algumas das suas criações para vestir os referidos artistas.

Nanutu, curador do  projecto,  para  conseguir o  formato  desejado,  convidou  Luís  Massy,  Franco  e  Sanguito, este  último,  a  exemplo  de Nanutu, continuam no activo e com vasta  discografia;  sendo tratados, peloscolegas, como resistentes e persistentes. Luís Massy, afastado dos palcos e do instrumento há quase uma década, enquanto Franco,  pese  embora  fora  dos  grandes  palcos,  mantém contacto com os instrumentos de sopro, porser instrutor da Banda de Honra do Exército.

António Manuel Fernandes,  conhecido  como  Nanutu,  assumiu  essepseudónimo artístico na  Casa  dos Rapazes  de  Luanda, onde aprendeu  a  tocar, começando  por bateria,  até aos  nove  anos,  quando  preferiu clarinete. A  suaestreia na música aconteceu com o Agrupamento Aliança Fapla-Povo e tem como destaque  Os  Merengues  e  Semba  Tropical. Actualmente,  tem os  seguintes  trabalhos  Marés”  (1996), “Kizofado” (2000), “Luandei” (2005),”Bisa”(2009) e “Ximbika”(2012).

Por sua vez, Sanguito, orfão de guerra, o contacto com a música acorreu em 1967,na Casa dos Rapazes de Luanda, sendo  guitarra  seu  primeiro  instrumento.  No  limiar  da  independência  cria  o  conjunto  os  “MiniPopulares”. Tem os albuns “Lente Vida”, “Ngueza”, e “Kamba diami” tendo na forja o quarto que estará a venda no dia do concerto e será lançado oficialmente no dia 11 de Feverreiro na Praça da Independência.Massy  e  Franco  são  os  outros  dois  integrantes  do  projecto “Quatro  Mwangolês  Sax”,  ambos  com passagem na Casa Pia. Luís Massy entra na música popular pelo Fapla, grupo que ingressa em 1975 com o amigo  Nandinho.  Frequentoua Academia de Música deLuanda como instrutor. Nos últimos exerceu cargos  administrativos,  primeiro  como responsáveldos Jovens do Prenda (1992-2002)  e  mais  tarde  em 2006 é eleito Secretário Executivo da União Nacional dos Artistas e Compositores(UNAC).Franco é o nome artísticode João Manuel Fernando, que na altura em que estava naCasa Pia, por ter um carácter  autoritário  era  tratado  por  Franco  Nero.  Natural  do  Uíge,  a  música  surge  na  Casa  Pia.  Antes  da independência com os artistas Mauro do Nascimento, Cirineu Bastos, Teles e Jorge Andrade toca na boite Comoro, substituindo Sofia Rosa. EM 2010 participou no Japão no Festival das Cinco Raças, tocando flauta, com a Orquestra da Camarã de Tokyo.

You must be logged in to post a comment Login